19 maio 2012

Retorno

Foi você, morena
quem me fez sonhar
e pensar que tudo seria um par,
um lar com jardim
sempre chegada e nunca partida

Vai
Que a saudade dói no coração
De quem tem peito demais
Para viver uma vida
Em despedida

E não vá acusar o destino
pois o vento guia a caminhada
os desatinos do tempo são companheiros
de quem tem o horizonte como chegada.

Então vem
Que a saudade encontra a paz
Quando a gente se encontra
e que o desassossego de não estar
é uma lembrança que nunca vai embora
quando sempre se espera a volta.



4 comentários:

Thamires Figueiredo disse...

Lindo!

♥♥♥ disse...

Que bonito!! Amo poemas, poesias, textos em geral. Parabéns pelo dom.
Se quiser ser tbm meu seguidor, aceito. Um abraço.

Juliana Lira disse...

Eita que lindos versos moço! Espero que continue escrevendo, fotogrando e tocando. Porque o que eu vi do escrever é uma beleza...

Beijos

Bruno Gaspari disse...

Bela poesia, gostei!
Abraço