14 julho 2013

Arado

Onde está a justiça do mundo
que permite a um querer de tão pouca idade
plantar tanta saudade
no peito?

Dessas coisas do coração, nunca aprendi como
cativar amor em liberdade
viver numa prisão sem grade
e querer nunca ser solto

O poço fundo da solidão um dia acaba
e na tormenta da maldade
vive-se a crua realidade
dos amores mortos à faca

2 comentários:

Janaina de Oliveira disse...

Poxa esse foi profundo! Adorei! Como anda a ida por aí?

Ani Braga disse...

Seu blog é um encanto!
Tudo lindo e de muito bom gosto.
Se puder dá uma passadinha no meu e segue também se gostar.

Beijos
Ani

HTTP://cristalssp.blogspot.com.br