03 outubro 2006

Vou levando assim, que o acaso é amigo do meu coração quando fala comigo, quando sei ouvir.

Mais uma vez estou aqui. Sempre numa mistura incerta de alegrias e tristezas, de altos e baixos. Nunca sabendo onde começa ou onde termina. E segue a vida.
O final de semana foi muito bom. Como a muito não era. Apesar da sinusite que me incomodou por dois dias, consegui ficar melhor no sábado e ir para a Praia do Saco. Lugar bonito e tranquilo. Mas a graça da história começou antes, durante a ida.
Como estava de carro, resolvi perguntar a algumas pessoas se não queriam ir, pois quanto mais gente, melhor. Além da única pessoa que já havia confirmado a ida, Dani, só Júnior resolveu ir. Mas não precisou mais ninguém ir não. Ele sozinho já fez a graça da viagem.
Júnior é um batinga de Lagarto (cidade do amor entre os homens, de acordo com Júnior), que veio a Aracaju para estudar e hoje faz biologia na UFS. Sujeito com um sotaque estranho, com jeitos mais entranhos ainda. Uma mistura de metaleiro com homem sensível, o cara é uma comédia. E quando bebe fica mais batinga ainda. Kkkkkkkkk.
Voltando ao Saco, foi legal conversar com o pessoal. Mais legal foi brincar de sandboard. Eu estava até andando direitinho, mas na hora que pedir pra gravar eu tomei uma vaca da peste. Foi engraçado (e um pouco dolorido).
Depois das quedas, um passeio na praia e depois um churrasco com a macarronada mais estranha que já vi. O que achavamos na cozinha ia para a panela. E até que não ficou ruim não. Após um rápida arrumação na casa, pé na estrada. Literalmente.
Saindo do Saco, fui dar uma "carona" a Júnior até Lagarto. Muita estrada e risadas depois, cheguei em Aju. Já era noite, quando tomei banho e descansei. Até queria sair (coisa que não tinha vontade a muito), mas acabei ficando em casa.
Domingo foi eleição. Normalmente minha sessão é rápida na votação, mas esse ano levei 1:30 h na fila devido a bêbados, idosos e idosos bêbados.
A tarde sair com duas pessoas que a muito não conversava: Naninha e Lorena. Um sorvete, uma volta no lago e várias palhaçadas no Oceanário (valeu BJ!!!). Deixei-as em casa e fui ficar com minha Pretinha. Depois disso, quando já havia deixado-a em casa me lembrei que tinha o aniversário de Shauane.
E lá fui eu para a República. Chego lá, estão algumas poucas pessoas. Mas boas pessoas. E hauane com o figurino sensual de sempre: mini saia e um blusa de alcinha com decote. UAU!!! E ainda tem a comissão de frente dela. Pela primeira vez em quase dois meses, sai de casa sem a máquina fotográfica. Ai teve que ser na base do celular mesmo. Foi pouco tempo, mas valeu a pena.
Segunda foi um dia normal. Normal para a minha segunda. Heheheh. Um filme em casa. E muita conversa.
Voltei a usar meu celular-maquina digital-mp3 player para ouvir músicas. Espero que continue assim. :D
Quanto as músicas, só vou fazer menção especial a duas, que significam muito para mim, algo que não quero deixar morrer, mas preciso aprender a viver sem: "Come Here" e "A waltz for a night" dos filmes Before Sunrise e Before Sunset.
P.S: Flávia, não sei se você vai chegar a ler meu blog depois de tudo, mas gostaria de dizer que não me arrependo de nada ao seu lado. Gosto muito de você, mas chegamos a um ponto que certas ações extremas precisam ser tomadas. Someday we know if love can move a montain. Até mais.

Um comentário:

tai disse...

Estou com muita saudade de tu, menino pequeno! Feliz porque vc tá feliz. Quando vamos jogar um pouquinho?
Beijos!!!!