20 setembro 2006

Eu vejo uma vida melhor no futuro...

Nada como uma ponta de esperança para resolver os problemas. Apesar de algumas vezes o pessimismo ser grande, sempre haverá a vontade de melhorar.
Gostaria de registrar aqui minha alegria pela apresentação da monografia de dois amigos meus: Marquinhos e BJ (conhecido também como Bruno Jackson). O primeiro, apesar da banca que quis colocar antes da apresentação, estava um pouco nevorso, mas se saiu bem. Mais um exorcisado do curso (tenho que tomar cuidado, se não o próximo sou eu :P ).
Quanto a BJ (ou ainda Smeagol, Gollum, Abelardo ou outro apelido que tenha ganhado ao longo do curso), esse meu irmão de curso de mata de orgulho. Desde que entrei no curso, foi a pessoa com quem mais conversei, umas com as (e das quais) mais ri e também aprendi. Pessoa de iniciativa, atitude e caráter. Tem alguns defeitos (nunca mais faço um trabalho escrito com ele, até porque agora ele ja se formou, huhauhauhauha), porém nada que supere suas qualidades. Muito criativo, sempre procurou achar soluções para os problemas que encontrou. Fez um trabalho de 3 anos, do qual tive o prazer de participar durante um breve tempo, que resultou na sua monografia; e talvez mestrado e doutorado.
Felicidades e conquistas a todos nessa nova etapa de vida. Hoje a tarde ainda tem Fabíola e Maisa. Boa sorte meninas.
No mais, sigo minha vida de sempre. Estou procurando algumas coisas novas pra fazer, ou então, fazer as coisas de sempre de uma forma diferente. Quero voltar a tocar meu violão, ler uns livros (se alguém tiver um pra me emprestar, aceito de bom grado), conversar com algumas pessoas e quem saber passear um pouco.
De ontem pra hoje não deu pra escutar música alguma, pois apaguei todas do meu celular e passei o dia todo na rua.

Um comentário:

eu, lógico! disse...

Pequeno, que bom que tu tá melhorzinho. Sei bem como você tá se sentindo, mas andemos com fé, pois ela não costuma falhar, segundo a música.
Livros, tenho de monte aqui. Diz um pra eu te mandar de presente de aniversário, se eu não puder ir praí.
Beijos, te amo muito, viu?