21 agosto 2007

Viva a Minas!!!

Estou eu novamente em terras sergipanas, no mundo real e diário do meu quarto. Resolvi divtoidir o relato da viagem em dois. Um sobre o turismo em Minas, o outro sobre o ENEB. Isso ao fato de serem coisas bem distintas, não ficando didaticamente interessante misturar.
.
Uma parte da viagem eu já postei antes, mas de forma bem ligeira. Vou tentar ser um pouco mais completo dessa vez, no entanto não tenho como escapar da repetição dos fatos.
.
Começo pelo relato da ida a BH. Nesse momento atual de caos aéreo, acho que dei sorte na minha primeira viagem de avião de verdade. Meu vôo chegou antes do previsto!!! Trajeto tranquilo, sem turbulências e com o nascer do sol mais bonito que já vi (mas não o mais legal). Chegando no aeroporto de BH dei de cara com o clima mineiro: manhã fria, seca e sem vento. Esperei Júlia (aquela que seria minha guia e companheira por toda a viagem) chegar para ir a casa dela. No caminho já fui vendo um pouco do que é BH e sua região metropolitana, que se parece um tanto com Salvador pela topografia. Muitos lugares interessantes.
.
Chegando na casa da Jú, que fica em Betim, fui me ambientando com o jeito mineiro de ser. O sotaque, o jeito das pessoas, as comidas, o papo. Tudo muito bom. Conheci a família da Ju, todos muito legais. E ao poucos fui me ambientando.
.
Conheci alguns lugares legais em Betim: a Vale Verde (alambique-fazenda); a PUC; o Salão do encontro (uma entidade de ajuda a crianças carentes); a casa do Kim (sensei da Jú); um lugar que fui comer batata recheada mas não me lembro o nome; uma pizzaria que vende duas pizza grandes por R$ 11,90. Conheci muita gente bacana que espero encontrar novamente.
.
Além de Betim e BH eu também visitei o Parque do Caraça, Mariana e Ouro Preto. O Caraça é um lugar lindo. E frio!!!. A noite chega perto do 0°. Como diz a placa lá: um paraíso. Situado no meio de um encontro de cadeias rochosas, o Caraça tem várias trilhas para se fazer, cachoeira, lobo-guará e uma história pra contar. O lugar era um colégio de padres, de onde sairam pessoas importantes do Brasil no começo do século passado, que devido a um incêncio acidental foi dasativado. Hoje, no local do colégio existe um museu.
.
Ouro Preto é um Pelourinho de tamanho gigante. Kkkkk. Falo sobre a arquitetura do prédios e as ladeiras de paralelepípedos. Lá existem vários museus e casas para se visitar, além das igrejas. O clima é bem legal e o por do dol muito bonito. Um dia volto la com mais calma. E descubro um restaurante decente pra comer.
.
Mariana foi a primeira capital mineira, então lá reside parte da história da região. Não tem tanta ladeiras e igrejas com Ouro Preto, mas também tem suas peculiaridades. Tenho um teoria de que essas cidades de interior históricas são para se conhecer no dia a dia, não só durante uma tarde ou mesmo um dia. Tenho que voltar lá também, mas já sei onde comer. :D
.
O restante da viagem entra na conta do ENEB. E lá també faço o repasso dos recados pra cada pessoa.

Um comentário:

eu, lógico! disse...

Menino, pra tu ter sentido frio, melhor eu nem chegar perto... Brrrrr! Senti daqui. Beijos, pequeno!