31 julho 2010

Do outro lado


"Atravessar a rua parece ser uma tarefa fácil. Afinal, fazemos isso todos os dias, uma tarefa rotineira. Mas parando bem pra pensar, envolve muitas decisões em pouco temos e só somos capazes de fazer devido à prática frequente. Estamos condicionados.

Primeiro, tem que se saber pra que atravessar a rua. Pode ser por necessidade, por insatisfação com o lado de cá, pode ter outra motivação. É preciso pesar o risco de atravessar com o ganho que o outro lado dará.

Segundo, é calcular a passagem. Carros, motos, bicicletas. Obstáculos variados. Buracos na pistas, poças de água e/ou lama. E aí temos que andar mais um pouco para atravessar a rua ou desistir.

Terceiro, o andar propriamente dito. Tem pessoas que são displicentes (que os outros se virem pra não acontecer nada comigo), outras são zelosas demais (pode aparecer um carro do nada na rua). Atravessar correndo nunca deve ser a primeira opção (tropessos à vista) e lugar de desfilar é na passarela. Ah, existindo faixa na via, SEMPRE cruze a rua por ela. Se não é garantia de segurança total ao menos pode render uma bom indenização."

Agora tenho que ir. Preciso atravessar uma rua.

Um comentário:

Ser como a fênix disse...

post do caralho..
foda!!!


;)