16 outubro 2011

Crônica dos 30 anos

"Vou andando como sou
e vou sendo como posso."


      Eu tento escrever algo para publicar relativo a minha crise dos 30 já fazem mais de 15 dias. Meu aniversário chegou, passou e eu não publiquei nada. Talvez porque não saiba o que escrever, talvez porque acho que não seja a hora de expor certas coisas.

      Cantei parabéns, apaguei as velas e... nada de tristeza. Não esperei por presente algum além da lembrança de alguns amigos e, no entanto, posso dizer que fui bem presenteado. Entre tequilas, vinhos e perfumes (com nome de vinho - devem achar que sou cachaceiro ¬¬), algo mais legal me foi dado sem que alguém tivesse imaginado: alegria. Embrulhada numa leveza que por muito não sabia da existência no mercado, ela surgiu em doses enebriantes. Aproveitei cada gota possível, pedi outra dose e quando tinha acabado o estoque eu voltei pra casa numa ressaca maravilhosa.

      Eu precisava disso. Eu merecia isso. Eu quero mais, quero paz e quero riso.

      Vou deixar pra escrever sobre a minha crise de 30 anos depois, porque até agora não me entendi com ela. Essa DR não faz sentido no momento e quando chegar a hora espero que a idade pese ao meu favor.

5 comentários:

Raquel Brabec disse...

30 aninhos Thito..vc está no auge da idade, não deixe espaço para a crise chegar, aproveite e viva o momento de alegria. Beijão

Jú... disse...

Queria estar ai nesses sorrisos =)))

=*

Thamires Figueiredo disse...

"Eu precisava disso. Eu merecia isso. Eu quero mais, quero paz e quero riso."

Trintar é uma idade bonita, se entenda com essa crise de vez e faça as pazes! :D

Antonio Rubilar B. Valente disse...

Que bom que ainda consigo encontrar pessoas, com almas e essência,onde só a poesia e a paz interior pode conceber.Parabéns ao blog.Se der,dê uma passadinha no meu tb.Um grande abraço! Rubi.
www.valentebrasil.blogspot.com

Arash Gitzcam disse...

amigos de verdade são algo realmente de valor...