30 maio 2011

Sobre amar

- Oi!
- Oi!
- Vim o mais rápido que pude. Como você tá?
- Agora eu estou bem, acho até que estou feliz.
- É mesmo? Porque?
- Bem, descobri que não quero mais te amar.
- Mas porque?? Eu gostava tando de você me amando! E você também parecia gostar!
- É eu gostava, mas comecei a perceber que estava me fazendo mal.
- De que forma o amor lhe fazia mal? Amar pra mim é algo tão legal.
- Eu acho que te amo demais e isso faz com que eu me ame de menos.
- Então me ame menos e se ame mais, assim continuamos os dois se amando.
- Você já ouviu falar de coração que aprende a amar menos depois que já provou o sabor de amar muito? Eu não conheço. Só resta deixar de amar.
- Poxa, mas o amor da gente era tão bonito. Como eu vou ficar agora? Amando só?
- Não sei. Não pensei nisso.
- Amar só não é bom. Machuca e depois cicatriza, pra machucar novamente logo mais na frente e então cicatriza de novo. É uma ferida que nunca sara.
- Mas ainda é amor, não foi você quem disse que amor é legal?
- Sim, é amor, porém um amor feio. Você conhece algum coração que depois de ter contemplado a beleza de um amor vai se contentar com a feiura desse mesmo amor? Eu não conheço.
- É, acho que você tem razão.
- O que faremos agora?
- Acho melhor você deixar de me amar também.
- Anda tendo tão pouco amor pelo mundo, porque temos que acabar com dois (ou seriam três: o de um, o do outro e o dos dois)?
- Seu continuar te amando vou acabar deixando de me amar, o que vai fazer com que meu amor acabe. Sem amor próprio eu também não terei como te amar, logo sem seguida o seu amor por mim também acabará. Melhor não nos amarmos agora que podemos evitar o pior.
- E porque não podemos apostar no amor? Ele pode mudar, podemos fazer com que ele seja bom para nós dois. Prefiro arriscar deixar que um amor morra naturalmente porque ele não tinha mais o que amar que matar um amor por puro exercício de futurologia!
- Talvez você tenha razão, o que por si só é estranho, porque o amor não é racional.
- Estranho é você dizer isso! Quem começou com isso de racionalizar o amor foi você!!
- Sabe de uma coisa? Esqueça tudo... eu te amo!!
- Pois agora sou eu quem não te ama mais!!
- Mas porque?!?!?
- Não quero alguém que vê o amor como uma massinha de modelar, que o pega nas mãos e o transforma a seu bel prazer. Quero alguém que veja o amor como um vento: livre e leve, mas ainda assim capaz de pouco a pouco carregar uma montanha. Adeus.

7 comentários:

Thamires Figueiredo disse...

"Quero alguém que veja o amor como um vento: livre e leve, mas ainda assim capaz de pouco a pouco carregar uma montanha. Adeus."

Thamires Figueiredo disse...

Perfeito!

Marília Gabrielle disse...

Muito bom! =)

Janaina de Oliveira disse...

Pq amar é tão complicado? Ou somo nós que complicamos o que nós mesmo inventamos? dúvidas, dúvidas.
apareça!

Day Pinheiro disse...

você anda tão cruel...

Michelly disse...

não sei nem como achei esse blog, não sei nem como expressar o que achei rsrs, muito bom =)

_Camiluna disse...

Hola, no hablo portugués pero leí todo el cuento y la verdad es que me ha gustado mucho.
Saludos desde Venezuela!