18 agosto 2008

À deriva...

     Pinguins são aves que não voam (descobriram que nada dá menos trabalho evolutivo). Andam a vida inteira agachados (por isso aquele caminhar sexy de quem parece estar bêbado). Flutuam na água devido a uma camada espessa de gordura (isso também ajuda a nadar bem). E vivem em regiões subtropicais e polares. Deixe eu frisar bem essa parte: subtropicais e polares. Agora me respondam: o que eses resolveram fazer no litoral do nordeste brasileiro????

     Eu sei, vocês já devem ter visto que alguns aparecem perdidos nos estados do Sul e Sudeste do Brasil, vez por outra. Só que dessa vez eles erraram feio o caminho, tendo registros de pinguins até em Fortaleza. Deixe eu frisar bem essa parte: até em Fortaleza.

     O erro de rota desses coitados chegou a 13.000 km. Saíram do sul da Argentina em direção a regiões mais quentes (das que estão acostumados, claro). No final devem estar se sentindo no inferno, visto que mesmo no inverno o nordeste faz calor.

     Até o momento a conta está em mais de 500. E isso são só os vivos. Se for contar os mortos já estão perto de 1000. Muito chegam com vida, mas morrem logo depois devido ao cansaço e a desnutrição. Aqui em Aracaju temos 28 em recuperação/recuperados. E espero que não chegue mais.

     Eu nunca imaginei ver um pinguim de perto, muito menos a alguns poucos quilometros de casa. E agora que tenho tempo (Férias!!!) estou de voluntário pra cuidar dos bichinhos que vestem roupa de mordomo. Pode parecer brincadeira, mas todo dia tem que lavar viveiro, dar banho, dar comida goela a baixo (a maioria não come só), botar pra nadar um pouco, colocar de volta no viveiro. Nesse meio tempo levamos bicadas, cagadas, algumas tentativas de fuga e rimos muito. E todo mundo sai cansado no final. Os volutários e os pinguins.

     Cada pinguim é identificado por um número. E eles já vão criando suas famas. O 02 é o cabeça das tentativas de fuga. Não tem um mísero instante que ele não esteja tramando um escapulida. Tem marcação homem-pinguim nesse caso. 0 44 tem uma cisma comigo: não pode me ver que já tenta cagar em cima deu. ¬¬ . O 37 é o maior e mais temido pinguim que já passou por terras sergipanas. Com seus 70 cm de altura e 4 kg de pura agressividade, ele é o terror dos babás. Além de mestre em capoeira e de um bico pra lá de doloroso, ele agora aprendeu a dançar reggae. Eu tenho quase certeza que é uma forma de luta que ele aprendeu no caminho...

     Amanhã de manhã estou lá de novo, preparado pra lhe dar com animais-celebridades com humor muito instável. Ou não.

6 comentários:

Renata disse...

Haha, Thito! Que legal! Queria eu morar aí perto pra ser babá de pinguim também!

Tadinhos, nesse calor já os vi de biquíni tomando o maior bronze na praia.

Beijo.

Graziele Alencar disse...

Oi, Thito,
Você já assitiu ao documentário "A marcha dos pingüins"? É lindo!
Eu fiquei encantada com esses serezinhos!
É muito legal que você tenha a oportunidade de trabalhar tendo contato com eles!
Beijos.

Jana disse...

aii que fofo, tira umas fotos pra gente ver!!

beijos

Pecadora disse...

Eu também acho pinguim fofo,nossa tá parecendo um quartel de pinguins todos identificados só por números, adorei o 02, por ser o cabeça das fugas,kkkkkk!Agora uma perguntinha o que leva ou levou esses coitados a errarem de rota tanto assim? Um abraço!

arteimitavida disse...

HAHAHAHAHAHAHAAH
Sinceramente, acho que eles resolveram pegar uma praia... Lá no subtropical polar estava muito chato e eles resolveram procurar um pouco de emoção (risos) prova disso é o 044 te zoar o tempo todo rsrsrsrsrsrrs e acho que o 02 tá querendo surfar um tiquinho...

Bjoks

PS: Morrendo de inveja deve ser muito legal cuidar desses bichinhos...

danielle disse...

aves?
fiquei sabendo q eram mamíferos...
kkkkkkkkkkkkk

depois te conto essa!!

beijo