24 setembro 2008

Come away with me

      "Ele nunca imaginou que isso pudesse acontecer. Nem ela. Só que aconteceu. E como as coisas inesperadas da vida, ficou marcado.

      Se conheceram como muitos se conhecem hoje: pela internet. Cada um acostumado a suas vidas, suas rotinas diárias. E foram conversando como sempre fizeram com todos que conheciam assim. Brincadeiras, risadas, lamentos, desabafos, cada dia era um pouco de si que era doado, um pouco do outro que era tomado. E foram se fazendo partes, de tanto em tanto.

      Ele, de cá, foi sentindo vontade de tê-la mais perto. A cada sofrimento dela, ele sofria também; o chorar dela significava seu pranto.

      Ela, de lá, achava mais graça nas piadas dele que nas dos outros. Sabia de cor seus gostos. Ele era sempre o primeiro a saber seus segredos.

      Até que ela tomou coragem e perguntou:

- Vamos nos conhecer???
- Só se for agora!! - disse ele.
- Agora eu não posso, tenho reunião com um cliente pra fechar contrato. Pode ser nas minhas férias, em Janeiro?
- Perfeito. Vai ser verão, podemos ir pra praia. E tem uns shows bacanas também.
- Eu amor praia!!! Aqui onde moro não tem nenhuma.
- Então está tudo fechado, janeiro nos encontramos.

      E janeiro foi esperado com muita ansiedade. Cada um em seu canto se perguntava se eles se dariam bem pessoalmente, se corresponderiam ao que cada um sonhava do outro. E a cada dia que passava a vontade ia aumentando. Quase a ponto de explodir.

      Chegou então o dia que eles se encontrariam. E ele fez tudo como sempre fez, não queria parecer uma pessoa que ele não era. E foi buscá-la no aeroporto. E quando se viram perceberam no olhar que alguma coisa a mais aconteceria naquele período em que estivessem juntos. O riso dela era mais lindo, muito mais bonito que em qualquer foto. E ele parecia mais bonito que ela imaginava. E tudo daria certo.

      E lá foram eles para dias de muita alegria. Ele como bom anfitrião e guia preparou um roteiro variado e interessante. Lugares bonitos, muita praia (senão ela lhe matava), comidas gostosas, pessoas novas e um cineminha. E nisso foram vivendo uma vida de casal, que ambos estavam adorando. Mas guardou uma surpresa pro final.

      No último dia deles juntos, foram dar uma volta na praia. E de um lugar que só ele conhecia, viram um por do sol de verão. E quem já viu um por de sol no verão junto sabe que é algo para nunca mais esquecer. A tarde foi passando e a noite chegou. Noite de lua cheia, uma brisa leve e a areia toda para eles. Ele preparou um piquenique especial: sushi, um vinho tinto e uns morangos com chocolate. E pra completar, um som envolvente*. Era tudo que ele precisava, era tudo que ela queria.

      E nesse clima de que seja infinito enquanto dure, a noite aconteceu. De todas as formas, em todos os sentidos. Paladar, audição, olfato, visão e tato trabalhando juntos para que juntos os dois se amassem. E dessa forma amanheceram, sabendo que aquele era um momento que se findava.

      E ela foi embora. Não fizeram promessas, não havia porque de fazê-las. Mas sentiram que em algum outro momento eles se encontrariam.



*Playlist da noite em breve.

6 comentários:

Estória Estranha disse...

"And I will write you a song..."
Bem bonita. ;)

Bjos!
=***

Thayna disse...

eu já sou suspeita pra falar..
adorei demais

Thayna disse...

adorei a sua cara de cutia
;D

shuasuaa.
bjoo

Renata disse...

Tá, Thito. Continua solteiro então?? rsrs

Beijo.

Júlia disse...

Belíssima "história" ...
Bjinhuxs

Clara disse...

Só tenho coisa boa pra contar sobre meus amigos "virtuais"... ano passado vivi algo parecido com isso que vc contou (e eu chamo de conto de fadas pós moderno!)e como as coisas inesperadas da vida, ficou marcado. Guardo as lembranças com mó carinho.

Um brinde ao delicado da vida!