28 abril 2009

De noite na cama eu fico pensando...



      Em algum sonho acordado:

      "Uma menina aparece. Assim, do nada (como acontecem nos sonhos). Era uma garota pequena, delicada. E linda. Não das belezas clássicas, de capa de revista ou de atriz de novela. Era bela no seu jeito de ser.

      Tinha um sorriso brilhante, que iluminava minhas horas ao seu lado. Um jeito todo desengonçado de ser, de ver o mundo e a vida. E isso me encantava.

      Era engraçado vê-la fazendo charme, como se quisesse mostrar o que não era. Uma maldade inocente no olhar. Porém, ela sabia o que queria e o que não queria. E eu, como sempre, estava na segunda categoria.

      O sonho era meu e poderia fazer o que quiser nele. Mas resolvi deixar ela a vontade, fazendo o que quisesse, até o que eu não queria. Porém dei a ela um toque a mais: no meu sonho, ela toca violino como um Spalla de orquestra. Toca uma melódia linda e triste, como meu sonho.

      Só que todo sonho acaba. Seja para dar lugar a outro sonho, seja para retornar a realidade. E o meu acabou como na vida real: eu sonhando com ela."

3 comentários:

Dica disse...

Sabe que já fui essa menina pra um amor do passado.
"bela no seu jeito de ser.. sorriso brilhante.. jeito desengonçado."
E nem ao menos era sonho.

Nossa, Thito!
Eu gostei de ler isso.
Todo e ocmpletamente =)
"Só que todo sonho acaba. Seja para dar lugar a outro sonho, seja para retornar a realidade."

*-*

Dia lindo!

Túllio Dias disse...

Wow!! um trovador na pós-modernidade? sabia de seu talento como fotógrafo, mas como blogueiro... pra mim é inédito...

Se o trovadorismo clássico (banhado de violino) não deu muito certo, pula pro romantismo... geralmente lá os finais são felizes! (mesmo quando se tratam de tragédias)

=)

Cindy Rosa disse...

comprovei o que eu achava - uma pessoa que escreve tão lindo só podia ser uma boa companhia =]

:*