07 abril 2010

Alguma coisa sobre amor

      Amar é bom. Ser amado também. Mas há muita coisa entre uma coisa e outra.

      O amor, por si só, é lindo. Deixa a vida mais bonita, por vezes dá até sentido a ela. Só que ele não vem só, não existe esse desprendimento do amor com o resto da existência. Queria eu que fosse assim...

      Não serei eu quem vai descobrir a equação de equilíbrio. Inseguranças, ciúmes, expectativas, decepções. Conceitos de vida e de como viver. Tudo isso, quando fora de sintonia, atrapalham, emperram e destroem o amor e o amar.

      É precisa, então, sacrificar um pouco de si. Um braço, uma perna, o orgulho, a paciência, uns amigos e amigas, lugares que gostamos. Não deixamos de ser nós mesmo, só passamos a ser diferente. São raros os amores que se encaixam perfeitamente. A maioria se encaixa, quando isso acontece, a fórceps. Então fica a pergunta: o quanto vale o seu amor e o seu amar? Que sacrifícios você está disposto ou disposta a fazer? Todos temos nossa cota, de acordo com a situação. Talvez o mais complicado seja descobrir o limite.

5 comentários:

Marília disse...

Disse tudo, Thito.... ando pensando sobre essas coisas tb...

Anônimo disse...

Pois é; de que tamanho é o limite ?

Ana Cláudia

Ser como a fênix disse...

Po... um dia roubo esse texto pra mim...

até onde vai o seu limite?

Raquel Brabec disse...

Se o amor fosse que nem nos filmes e novelas, tudo se resumia no "eles viveram felizes para sempre". Na vida real, o sempre tem um dia seguinte, que é preciso enfrentar.
No equilíbrio do amor, que a balança pese para o lado da felicidade!
Bjos

Uma Menina Estudiossa disse...

Isto mesmo Tito Você é UM PENSADOR muito muito muito , Legal " Posta algumas dicas no Youtube como pensar Em grandes coisas. :)