19 abril 2010

De onde sopram os ventos...


Expira. Expressa, exala. Depressa, sopra.
E põe pra fora o que te sufoca.

Transfoma o que te rodeia em algo que te alimente.
Na expiral do ser, um sopro. Ou um furacão.

Modifique e mude. Seja, também, mudado.
Torne-se um torto, um tonto. Tornado.

Então exploda. A brisa, num vão momento.
De dentro de nós, de onde sopram os ventos...

Um comentário:

Ser como a fênix disse...

Mude... e lembre-se... isto também passa!!!


;)