07 janeiro 2009

Movido a pedaladas



      Ano novo, tentativa de vida nova. Como tinha dito que em 2009 não ia ficar parado (2008 foi o ano do sedentarismo), apelei para a opção mais fácil e barata: pedalar.

      Bicicleta eu já tinha, mas se encontrava sem uso devido a preguiça e alguns probleminhas técnicos. Como tenho vários amigos que sobrevivem andando de bicicleta para todos os lados, tomei vergonha na cara e entrei no movimento também. Trabalho a 4 km da minha casa, praticamente uma única avenida, que conta com uma ciclovia. Tudo bem que metade do caminho é subida e ainda tem um viaduto no percurso, mas até minha avó subiria com um pouco de boa vontade (mentira, ela precisaria de muita boa vontade e de uma ajudinha). Sabe quanto tempo para percorrer esses trajeto? 8 minutos, pedalando na vagarosidade imponente da manhã. Ou seja, um nada.

      Ainda tem a questão de economizar gasolina e peças do carro (70% do uso do meu carro é pra ir ao trabalho), fazer um exercício, pegar um solzinho (o problema é na hora de voltar pra casa, às 13h), ver a cidade de outra forma, de outro ângulo. E o objetivo não é só ir ao trabalho, é ter a bicicleta como um meio de transporte. Como meio de vida já é um passo bem mais adiante.

      Aracaju é uma cidade relativamente pequena e com um sistema de ciclovias integradas, que faz com que se tenha um pouco de segurança por não ter que pedalar por entre os carros, e plana (isso faz uma diferença enoooooooorme). Dá para ir da minha casa até a praia em 25 minutos. Ao shopping, 5 minutos. A maior parte da casa dos amigos, 15 minutos. Até a Universidade, 30 minutos (e isso porque ela fica em outra cidade). Se programando, dá para chegar em todos os lugares sem se atrasar.

      Como peguei minha bicicleta na manutenção ontem, resolvi tirar o atraso: chamei um amigo e fomos dar uma pedalada. Foram quase 2h de pedaladas, boa parte no calçadão que fica na região que beira o Rio Sergipe. Como o calor está grande por aqui esses dias (25° já às 6h da manhã, chegando a ficar próximo de 30° a noite), muita água para hidratar. Talvez eu não tenho feito o mais indicado pelos especialistas, pois estava parado a um bom tempo e forcei bastante tanto no ritmo quanto na distância. Só que eu também precisava mostrar para mim que ainda conseguia dar uma pedalada mais "pesada".

      E como informação nunca é demais, alguns links sobre quem se interessar em saber mais sobre bicicleta e pedaladas:

1 - Escola da bicicleta
2 - Pedal
3 - Wikipedia: bicicleta
4 - Bike Magazine
5 - Dirt World (inglês)
6 - Cranck (inglês)
7 - Desciclopedia: bicicleta

      Hoje comecei a vir para o trabalho de bicicleta, mas tive um pequeno contratempo. A tranca , comprada por módicos 9 reais, resolveu quebrar quando fui prender a bicicleta no trabalho. Como não ia deixar minha magrela solta, tive que voltar para casa e voltar para o trabalho de carro. De tarde vou comprar uma tranca que preste. Que isso sirva de aviso. Kkkkkkkk

6 comentários:

Renata disse...

É.. um dia eu vou morar em cidade pequena e calma, com ciclovias, plana. Aí quando esse dia chegar, eu ando de bicicleta. Por enquanto, no caos, no trânsito, na cidade que não pára, na poluição, no vuco-vuco... vou de carro mesmo! rs
Beijo.

Tâmara disse...

Tai uma coisa legal...
pedalar...Adoro pedalar

beijo

Graziele disse...

Oi, Thito,
Tudo bem? Eu ando meio paradona nesse mundo virtual, viu?! E você como tá?
Vi que começou 2009 cheio de energia, né?! É isso aí! Tem de se movimentar mesmo!
Beijos.

arteimitavida disse...

Venho de uma cidade (no Brasil) que a exemplo de AMSTERDÃ o principal veiculo é bike... Na Europa muitos o defendem por não poluir e ainda auxiliar na boa forma!
Gosto muito de pedalar, assim que puder vou investir nisso tbm!

Bjoks

arteimitavida disse...

Venho de uma cidade (no Brasil) que a exemplo de AMSTERDÃ o principal veiculo é bike... Na Europa muitos o defendem por não poluir e ainda auxiliar na boa forma!
Gosto muito de pedalar, assim que puder vou investir nisso tbm!

Bjoks

Aline disse...

Ótima opção aproveitar esse tempo entre casa e trabalho para dar umas pedaladas. Além de nos poupar do desagradavel transito, melhora o humor.
Atualmente moro numa pequena cidade de Minas Gerais, que, a primeira vista, convida a ir pro trabalho de bike. O que torna isso complicado é o alto indice de roubos de bicicletas na cidade. Já virou máfia. É uma pena. Eu mesma já perdi duas bikes por causa disso.
...Coisas do Brasil...