25 março 2010

Origem das espécies


      O tempo mudou, a sinusite chegou. E trouxe com ela a dor de cabeça e um pequena inflamação na garganta, causando um pequeno incômodo. Só que ele foi o suficiente para não me deixar dormir. Então resolvi assistir um filme. O escolhido para a sessão remédio foi Criação, que conta um pouco sobre a vida de Charles Darwin.

      Darwin, para quem não sabe, foi um naturalista (na época dele não havia divisão entre as diversas ciências ditas "da terra e da vida": geologia, biologia, etc.) que lançou ao mundo a Teoria da seleção natural, de forma a justificar a evolução das formas de vida. Para muitos ele foi um divisor de águas quanto ao pensamento humano. Afinal de contas, não se mata Deus à toa. E Deus, àquela época, era o início e o fim de tudo.

      O filme não tenta retratar as experiências, as viagens e os pensamentos de Darwin. Isso seria algo muito extenso para pouco tempo de exibição. O que se vê na produção é como o ser humano Darwin se viu atormentado com tudo que se passava em sua cabeça, entre idéias e alucianções. Mostrava que, antes de tudo, ele era falho. E frágil também.

      Esperava algo completamente diferente, afinal de contas, como estudante de biologia, toda a minha área de estudo se encontra sob total influência das pesquisas de Darwin. Eu imaginava que o filme seria um quase documentário que trouxesse alguma revelação quanto a maneira que o levou a chegar na Teoria da seleção natural. Talvez isso se deva ao fato de eu esperar um dia também fazer uma grande descoberta (quem estuda ou trabalha com ciência e não pensa assim, favor mudar de ramo), então saber como ele fez me ajude a fazer também. Mas o filme quebrou o mito "Darwin" que eu tinha para mim. Agora sei que sou mais capaz de fazer uma descoberta. E sei também que isso só acontecerá se eu superar meus limites.

      O tio Ben, do Homem Aranha, falou que grandes poderes trazem também grande responsabilidades. Acho que Charles Darwin sabia o tamanho da responsabilidade que tinha enquanto escrevia seu mais famoso livre. E quase subumbe a todo esse poder.

      Não sei quanto a vocês, mas para mim esse é um dos melhores filmes da minha vida. Não pela qualidade da atuações (em sua maioria, medianas), mas pelo seu significado a minha pessoa.

2 comentários:

Ser como a fênix disse...

tbm quero ver esse filme... falar em filmes... =x

=)


ó... tudo bem, grande respeito a Darwin pela maneira como ele colocou as coisas porém esse merito deveria ser era de Wallace... porem, como na epoca dele (assim como hj), nasceu em berço de ouro significa ter certas vantagens... entao ele recebu o grande titulo.
enfim...
questao muito ampla a se discutir aqui

beijao
=)

Vanessa disse...

Olha que interessante, atiçou minha lombriga para ver este filme também!
Vou procurá-lo por aqui!

E você? Está melhor?
Espero que sim!
;)

Beijão e Boa Semana!