11 novembro 2008

Nada, não

Não sentir nada.
Não querer nada.
Vazio.

O impossível.
O improvável.
O tudo.

Pouco nada.
Muito, tudo.

Não saber.
Saber-se só.

Não sentir,
Sentir-se só.

Não querer,
e ser só.

Mentir,
enfrentar,
ser só.

Só depender de você.

E por depender
que não serei só

Eu não basto
a mim mesmo

Preciso mais
pra ser inteiro

Preciso do mundo,
pra ser sincero.


A parte vermelha do poema é de autoria da Bibs°, a parte preta é minha (na verdade foi o comentário que fiz do poema). Ah, ele foi devidamente autorizado (olha o comentário dela).

5 comentários:

Bibs ° disse...

Opa, olha eu aqui! Se quiser, pode chamar de Gabi, tbem.

Não é por nada não mas, eu adorei o poema. =P

Bjo!

Jana disse...

Sendo assim bem sincera, eu não gosto de poemas kkkkk

Então sabe que eu não li e passei só pra deixar beijo

Fabrizia disse...

Lela, legal mesmo =)
:*

Renata disse...

Haha... não precisa atingir meta não, é só a cara e a coragem....

Mas, já que vc tocou no assunto eu vou ser mais direta, diminuir um pouco essa burocracia... rs

renatavasc@hotmail.com

Beijo.

arteimitavida disse...

Somos apenas a metade... Precisamos de mais para sermos inteiros LINDO LINDO!!!

Bjoks bom final de semana