28 março 2009

Salve o mundo



      Então que hoje tem a Hora do Planeta. Então que, de acordo com essa iniciativa, as pessoas devem apagar as luzes de suas casa, estabelecimentos comerciais e o que mais for durante uma hora a partir das 20:30, horário de Brasólia. Então que depois disso vão divulgar números absurdos sobra a quantidade de energia que vai ser economizada e o que isso representa para a humanidade. Então que acho isso uma besteira enorme.

      Vou, então, me explicar. Não acredito que isso vá fazer diferença nenhuma. O que representa uma hora de um dia do ano para o impacto que a humanidade causa? Nada. Acho que mais importante que isso é ter consciência de que o mundo não precisa ser salvo. Quem precisa disso é o próprio homem.

      Então: Mudanças de hábito já! Isso leva tempo e só se percebe o resultado a longo prazo, porém é o que existe de mais eficiente. Até duas décadas atrás quase ninguém tinha visto um computador na vida, quem dirá ter um em casa. E agora? Até as classes sociais menos favorecidas tem comprado computadores. Então mudar hábitos é possível.

      Então que comecemos a comprar produtos menos agressivos ao ambiente em todo o seu processo produtivo e forma de uso. Para alguns eletrodomésticos (geladeiras, freezers, ar condicionados, etc) já existem um sistema de classificação quanto ao gasto de energia. Isso vai começar também com os automóveis, que terão etiquetas de classificação quanto ao consumo. É só o começo, temos que procurar mais alternativas.

      Então que podemos gastar menos água no banho, limpando a casa, os pratos e o carro. Podemos economizar energia usando melhor os eletrônicos de casa (eu estou me programando para começar a desligar meu computador quando não estiver em casa). Um jeito fácil para isso é ler os manuais quem os acompanham. Pode parecer besteira, mas boa parte deles contêm dicas de como usá-los da melhor maneira possível.

      Então que não vou me repetir sobra bicicletas. Usem-as!!!

      Então que chegaremos a um ponto ainda mais importante e complicado: a humanidade em si. Todos os outros seres desse planetas vivem em um equilíbrio dinâmico com o ambiente que os cerca. Nos vivemos em desequilíbrio constante. Só quem pode para o homem é o próprio homem. Normalmente isso se chama guerra. Mas poderia ser educação. Já existem seres humanos demais nesse planeta, então tem que se começar a diminuir o número deles. E não espero que sejam mandados para Marte a fim de resolver esse problema.

      Então que eu espero que essa iniciativa de hoje logo mais tarde não seja um movimento de apertar um interruptor. Que seja o de colocar idéias na cabeça.

3 comentários:

Day Pinheiro disse...

Plaft1 Plaft! Plaft!
Aplausos de péeeeeee!
Ninguém apagou aqui em casa!
Ouvi sobre isso ontem, mas esqueci. Rá.

Rico B. disse...

Apaguei as luzes de casa e deixei um simbólico abajour de bambu japonês acesso. Clima romântico e ninguém pra pactuar a doce escuridão. Mas se ajudou, voi la! bacana seu blog!

Tâmara disse...

Posso explicar?

è que eu sinto faalta de ár quando fico no escuro.

panica! meda! horrora!terrora!

dai eu pensei?

- "Bom, posso acender velas?"

Dai, a começaram a querer me esculhambar com historia de fantasmas e bla bla bla...

Pensei:

- Se sou espirita aprendiz de macumbeira...o ideal era que eu não tivesse medo de fantasmas..né??


apaguei! sim!

( com um murro no interruptor)

kkkkkkkkk