17 julho 2009

Medindo forças



      E a noite me trouxe como companhia a angústia. Daquelas que invade o peito e ocupa o espaço onde deveria ficar o ar, sem deixar espaço para a respiração. Estou asfixiado pelo meu próprio jeito de ser. Só espero que alguém der a falta, caso eu morra.

      Tento fazer tudo certinho, porque sou caxias e porque sou medroso. A vida já me machucou tanto que não quero mais feridas. Quero, de verdade, sair dessa inteiro.

      Quando eu acho que tudo se encaminha na direção certa, eis que percebo: está tudo errado. Talvez eu não tenha aprendido direito com esse filme, no qual eu já atuei várias vezes. Sendo assim, é desisto.

      Será que o ápice chegou tão rápido? A única coisa que sei é que a queda é dolorosa.

      A razão diz pra eu fugir, o coração diz que não...

      Depois de muito tempo achando que podia ensinar quase tudo, me vejo tendo que aprender. E parece que não vai ser do jeito mais fácil.

      Vou-me, para que meu choro não seja em vão...

2 comentários:

Dica disse...

Era disso que eu sentia falta. Disso, Thito. De você triste, de você intenso, sendo sincero ou não.

Você é tanta coisa que eu não sei do qual Thito gostar. E sim, esse que escreveu hoje é o que eu mais gosto.

Carol disse...

espero que nao seja sobre fatos reais, mas que o texto tá otimo, isso está!