29 julho 2009

O tempo é quem me ensina...



      Ultimamente ando pensando muito nas transformações que a idade trás. Talvez porque eu tenha uma flor, e minha flor* seja um pequeno botão, a se abrir aos poucos para a vida, e eu esteja vendo-a se confrontar com o mundo desprotegido que a envolve. Talvez seja a ânsia de não deixá-la cometer os erros que eu cometi, pelo mesmo motivo que ela os cometeria agora.

      Já fui mais impulsivo, mais orgulhoso. Fiz coisas sem parar para pensar nas consequências, quando essas eram importantes. Fui fraco quando precisei ser forte, fui bruto quando precisei ser suave. Mas também ajudei quando era mais fácil deixar de lado, sorrí quando a lágrima pesava no olho.

      Fui feliz, sem deixar de lado a tristeza, pois não se dá valor quando não se conhece o vazio da falta. Amei sem ser amado, como também não percebi o amor alheio. Deixei pessoas para trás, não se pode carregar toda uma história de vida para sempre. Algumas devem ter se magoado, a maioria não devem nem ter percebido. Não fiz por mal. Por vezes, nem percebi que o fiz.

      Tudo que passei me impele a mostrar onde os outros a minha volta podem estar errando. Sei que isso não é nada legal, mas prezo por quem gosto e sei que os erros tolos não precisam ser cometidos de novo para que possam ser evitados. Já basta alguém tê-los feitos alguma vez...

5 comentários:

Carol disse...

estatísticas mostram que infelizmente só aprendemos (e quando aprendemos) com os nossos erros. Fazer o q?

Cindy Rosa disse...

concordo com ela, deixe eu me arrepender pra aprender, como tanta coisa que eu ja aprendi.

FABIANA disse...

Cometer erros é um aprendizado, deixe-a cometê-los se ela pedir-lhe conselhos dê mas não tente obrigá-la a seguir a sua linha de pensamento. Nós devemos errar para aprender!

Tapiocas para vc!

Vanessa disse...

E assim a vida se resume, em apenas um ato...
MOMENTOS!

Beijos e boa semana!

Dica disse...

Deixe-a viver por si só.