08 abril 2008

Até o fim raiar...

 

       Sentado numa pedra a beiramar, já não há o que fazer.

Uma folha que cai, uma brisa que passa.

       O sangue que nas veias corre lhe diz que não a nada a temer.

A tristeza imensa, a alegria escassa.

       No vai e vem da ondas, eu me perco em mim mesmo

indo e voltando para algum lugar que não conheço.

       E gasto as horas do dia assim, assado, a esmo

e com o chegar da noite megulho em mim, adormeço.

       Em sonhos que mais se parecem a realidade, eu luto

contra aquilo que me transformou em sofrimento.

       Já não me resta muitas forças para reagir, eu fujo

e me escondo na parte mais escura do firmamento.

       E sentado na pedra eu espero o dia que se aproxima:

a luz do dia, o calor, o mar.

      E sentado na pedra eu espero o que se a mim se destina

até o fim raiar.

2 comentários:

Grazielle disse...

Thitooooooooooooooooooooooooooooooo

"alegria, alegria
faça como eu
sorria"

rsrsrs

:*************

* мiмiℓα * disse...

anham...

Sorria cara de melancia...

baaah preciso dormir ^^ volto ake mais vezes...

=**