07 abril 2008

No vazio do meu quarto.

 

     Daqui onde estou vejo a luz de uma vela. Tênue, tensa, tenebrosa. Sombria como toda luz de vela. Sombras.

     Vejo a luz transformar meus medos em imagens, em monstros, espreitando e esperando uma oportunidade de me alcançar. Fecho os olhos para eles sumirem, eles invadem minha cabeça.

     E a noite se torna um tormento no vazio do meu quarto. Somente eu e a vela, que vela a minha agonia e não revela o que me atormenta.

     Pior do que quando a escuridão toma conta é quando a luz não resolve. E aí não há saída...

Um comentário:

* мiмiℓα * disse...

um quase cego né?!

Putzz...