29 dezembro 2008

Cinema nacional

      Eu gosto de filmes. Mas não é toda hora, nem todo dia. Não tenho predileção por tipo de filme, só preciso estar com vontade de ver algum. E tenho acompanhado a melhora do cinema nacional na última década.

      Desde Carlota Joaquina, de 1995, que as produções nacionais tem evoluido em todos os quesitos: roteiros, fotografias, trilha sonora, atuações. E agora, mais que nunca, tem algo que ajuda bastante: divulgação.

      Grande parte dessas produções fazem parte da Globo Filmes, que tem uma grande estrutura para vender seus filmes, porém até aqueles que são distribuídos por outras empresas se associam a grandes estúdios e aproveitam o poder de barganha que eles possuem. Quanto mais salas passando, melhor.

      O reconhecimento vem em forma de público (e consequentemente, arrecadação) e de prêmios. Hoje as pessoas até comentam sobre os filmes, atores são chamados para produções estrangeiras. Acredito que o melhor exemplo sejam o Walter Salles e o Fernando Meireles. Após produções nacionais de repercusão internacional, os mesmo já dirigiram filmes de grande estúdios como produções de outros países. E fizeram bonito.

      Além das já famosas produções brasileiras, como Cidade de Deus, Central do Brasil, Carandiru, Tropa de elite, existem outros muito bons e pouco difundidos. Cheiro do ralo, O céu de Sueli, Baixio das bestas, Cidade baixa e Saneamento básico são alguns exemplos. Temáticas bem distintas, mas ótimos filmes.

      Quer mais título pra assistir? Passe aqui.

4 comentários:

Jana disse...

eu ando tão defasada nos filmes...

beijos

Clara disse...

Até que enfim eu vejo alguém falando bem do cinema nacional!!!

Eu gosto muito, assisto tudo que dá.

bjs meus

Carol... disse...

hoje eu assisti madagascar.... hohohho


Mas gosto de filmes brasileiros, mas nem todos.

Como gosto de filmes de terror, mas nem todos e bla bla bla

Welton Nogueira disse...

verdade, cinema nacional melhorou muito. mas ainda é vítima de preconceitos, principalmente do povo que paga pau pras produções de Hollywood. Nada contra elas, mas temos que alargar nossos horizontes para além de Hollywood tb.