14 dezembro 2008

Dizem que sou louco por pensar assim...

      Ontem eu tive a oportunidade de presenciar um fato raro: um show do Mutantes. Sabe aquela banda, com som bem psicodélico, que a Rita Lee cantava antes de se lançar em carreira solo? Então, é essa mesma.

      A banda passou décadas desfeitas, até que reuniu novamente para alguns shows comemorativos, contando agora com a Zélia Duncan nos vocais. Após algum tempo, essa saiu para se dedicar mais a carreira solo. E a banda tomou o formato que tem hoje, com somente o Sérgio Dias e o Dinho Leme da formação original.

      O show, junto com a Naurêa e a Maria Scombona, bandas locais que já possui vários anos de estradas e público fiel. O motivo? Comemoração dos 13 anos da Aperipê FM, uma rádio que ainda se dá ao trabalho de tocar músicas boas e variadas.

      Tudo se passou no parque da Sementeira, ao final da tarde e parte da noite do sábado. Lugar agradável, espaçoso e com um único problema: sem estrutura para venda de bebidas e comidas. Como já é de costume, foi de grátis.

      Não sou fã dos Mutantes. Desconheço a maior parte das músicas (as mais famosas eu conheço) e não tenho jeito para psicodelia. Mas fiquei curioso em saber como seria o show e, principalmente, como o Sérgio Dias ainda consegue tocar, depois de tantas bad trips. E lá vou eu com uma mochila cheia de lanchinhos nas costas para o parque (Detalhe curioso e histórico: o arranjo da música Domingo no parque, do Gilberto Gil, foi feito pelos Mutantes. E bem que o show deles poderia ter sido no domingo, ao invés do sábado)...

      Os shows de abertura foram algo já esperado e previsível. Nesse caso, em específico, para mim, foi um saco. E veio o momento aguardado. Aqui faço um observação: não sou usário de "doces", "balas" ou "hups", então toda minha percepção é baseada no estado natural da mente. Ao contrário de uns 70% das pessoas presentes.

      O show começou bem parado, com muita música desconhecida (para mim) e os alternativos-cults cantando e dançando a plenos pulmões. Até então meu interesse era simplesmente no som advindo dos instrumentos, tanto que só percebi a vestimenta diferenciada de alguns integrantes da banda lá pela 7ª ou 8ª música. E nesse marasmo eu ia tendo certeza do que imaginava quando saí de casa: Mutantes é só para pessoas "aditivadas".

      Então acabou a primeira parte do show. É, porque o bis já foi institucionalizado. E a segunda parte foi muuuuito melhor. Músicas mais agitadas (mais conhecidas também) e um outro clima. E uma constatação: O Sérgio Dias toca demais!!! Deu gosto de ver mais de perto os solos de guitarra e violão, além da disposição em se mexer no palco e interagir com o público.

      Nota final do evento: 6,5. Pela falta de refrigerante e água (álcool não está sendo a minha faz um tempo), de comida (ainda bem que levei uns lanchinhos), além da burocracia de boa parte dos shows. Mas já posso colocar na minha biografia que vi um show dos Mutantes.

8 comentários:

Jana disse...

Eu nunca vi e como vc só conheço as músicas mais antigas

beijo

Renata disse...

Que bom que você foi, assim dá pra falar exatamente a sua opinião a respeito! Muito melhor do que quem diz que gosta ou não gosta sem nem saber do que se trata.

Beijo.

arteimitavida disse...

Bem... Penso que o Sérgio não podia tocar mal, a prática leva à perfeição!!!

Mutantes conheço pouco, acho a voz da Rita um agrado aos ouvidos, não escutei nada da Zélia ainda. Enfim é isso... De repente eles venham ao Planalto e eu os veja.

bjoks

Tâmara disse...

Salve Salve os MUTANTES!

Adorooooooooo!!

Elenita de Castro disse...

Eu nunca vi um show e pelo pouco que ouvi dos seus relatos, acho que pretendo continuar assim, meu caro. Ehehe!

Estória Estranha disse...

"Aqui faço um observação: não sou usário de "doces", "balas" ou "hups" "

Morrendooo de rir dessa parte.
=P

Bjo!
Mande mais músicas!

Bibs ° disse...

não foi dessa vez, não rolou.
agora é colocar a cabeça em ordem... e pensar no que fazer

Leticia Gindri disse...

Eu também fui!! Foi bom demais!!! Na hora eu nem acreditei que estava realmente vendo um show dos Mutantes, e nem era Cover! (tudo bem que só tinham dois da formação original, mas tá valendo) Putz, eu fiquei muito emocionada! Realmente é um show pra ficar pra história e contar pros netinhos!
Ahh qnto às roupas "diferenciadas" acho que é uma coisa da banda mesmo..eles sempre usaram roupinhas engraçadas e parecendo bruxos e tals..