25 outubro 2008

Based on my smile

      Quando a fome aperta, qualquer migalha é banquete. E é assim que vou me sentindo nesses dias.

      Eu me fascino fácil com as pessoas e não estou acostumado a receber eleogios. Agora imagine quando alguém conversa comigo, normalmente e sem nada demais, e tudo parece flores. Tenho me sentindo dependente de uma pessoa ultimamente, até o momento uma dependência boa. Ela me faz sorrir, me faz bem. Por mais que qualquer outra coisa seja invenção da minha fertil imaginação, isso só tem me ajudado. Melhor que isso só se tivesse você por perto.

      Não tenho deixado de viver minha vida aqui, ela até anda melhor que o de costume. Só que sempre tem um pouco da minha cabeça pensando nela. O que faz? Será que está bem?? Não vou dizer que é amor, do tipo paixão. Mas é algo bem legal. Me deixa leve.

4 comentários:

Bárbara Fiz disse...

-Aah, rapaz ...
sei bem o que é ...
você está "tchubarubado" [ como diz os adolescentes hoje em dia] ^^.
Aproveita viu, mas se "ela" estiver muito longe, cuidado pra nao se ferir ...

Um abraço, felicidades e boa sorte!

quem vos fala disse...

Costumo me apegar fácil a certas pessoas também...
Mas às vezes penso que é só carência...
Parece que você elegeu alguém, e talvez seja pelo mesmo motivo...
Talvez o plural empregado na frase seja de fato um "ato falho" psicanalítico... me refiro à sua frase: "Tenho me sentindo dependente de uma pessoas ultimamente (...)"
Talvez a pessoa elegida de fato só cubra a carência das "pessoas"...
Mas "talvez", é claro... é apenas uma suposição...
Espero que te ajude a refletir alguma coisa...
Mas quem sou eu para dizer disso...
Grande abraço!
Ass: Gustavo

Carol... disse...

É bom... mas é ruim... mas é bom.

xeru

Grazielle disse...

hummmmmmmmmmmmmmm

sinto cheiro de encantamento... Encantamento é minha mais lógica definição pra esse estado de "não-é-paixão-mas-não-deixa-de-ser" ^^