14 fevereiro 2008

Leve

Leve,

como quem leva às noites de outrora,

leva

com a leve brisa da aurora.

Sonho

como quem sonha um mundo,

choro

no infinito de um segundo.

 

Seja,

e representando uma esperança,

lute

a luta vã da liberdade.

Durma

o sono inocente da criança,

sente

o peso vil da idade.

 

Sofre

a dor de quem vive,

viva

a agônia de quem parte.

Deixe,

o amor já não existe;

Sofre

como se existisse saudade.

Um comentário:

Grazielle disse...

Belíssimo texto...
Um jogo de palavras suave como a brisa do mar que vc tanto gosta...

foi de propositalmente pensado para o Valentine's day ou foi por acaso?